CUIABÁ É CAMPEÃO MATOGROSSENSE DE 2011

O Cuiabá conquistou o Campeonato Mato-Grossense neste domingo ao empatar por 1 a 1 com o Barra do Garças, no Estádio Eurico Gaspar Dutra, em Cuiabá. Como havia vencido a partida de ida por 3 a 1, o time da capital mato-grossense se aproveitou da vantagem que tinha para faturar o Estadual pela terceira vez em sua história. As outras conquistas foram em 2003 e 2004.

Apesar de jogar fora de casa, o Barra do Garças que saiu na frente no placar com o lateral-direito Kledir, aos 36 minutos da etapa inicial. No entanto, Douglas, que entrara na segunda etapa, fez o gol do título do Cuiabá aos 40 minutos do tempo complementar.

Com a conquista, o Cuiabá se igualou ao Sinop como quarto maior vencedor do Campeonato Estadual do Mato Grosso. O Mixto lidera a lista com 23 troféus. O Operário de Vargem Grande tem 17. O Dom Bosco foi campeão em seis oportunidades.

O Jogo
O Cuiabá entrou em campo dando a clara demonstração de que estava com o regulamento debaixo do braço. Atuou totalmente diferente da forma como jogou todo o campeonato, mais recuado, tentando deixar o tempo passar. O Barra parecia que estava jogando em casa. Foi mais ofensivo, mais vibrante, dominava a partida e criava jogadas de perigo.

O primeiro lance de perigo aconteceu aos 11 minutos para o Barra com Jócion que chutou para fora. O Cuiabá não conseguia articular e ainda tinha em Fernando uma peça obscura em campo, não produzindo nada.

Aos 26 minutos novamente Jócion perde uma chance de ouro para abrir o marcador, chutando para fora. A primeira chance do Cuiabá só aconteceu aos 30 minutos com Tozim que obrigou o goleiro Anderson a fazer grande defesa.

O Barra era melhor, dominava a partida e aos 36 minutos em ataque rápido Jean faz falta em Nenezinho e leva cartão amarelo. Edson Sá cobra por cobertura para o ala Cleidir aparecer de surpresa, subir mais que a defesa cuiabana e abrir o marcador.

Com a vantagem, o Barra continuou atacando, mas perdendo boas oportunidades.

Na fase complementar, o Cuiabá voltou com uma alteração, o artilheiro Moreno no lugar de Edu Amparo. A modificação, aliada a bronca que o técnico Ary Marques deu em seus jogadores, mostrou que o time da Capital seria diferente. Logo aos 30 segundos Tozim obriga o goleiro Anderson a fazer uma grande defesa.

O jogo prometia ser diferente, mais emocionante. E começou a todo vapor com os dois times procurando o gol. Aos 4 minutos, Isarel cobra falta e obriga Fabiano a grande defesa. O Barra, era melhor e o Cuiabá voltou a mostrar a mesma apatia do primeiro tempo, jogando atrás, tentando garantir o resultado que lhe dava o título.

Mesmo assim, aos 14 minutos quase empatou. Tozim cabeceia e Anderson faz uma excelente defesa. Dois minutos depois, o Barra teve tudo para fazer o segundo gol.Nenezinho chutou no travessão. No rebote, Jócion toca e Fabiano coloca para escanteio.

Aos poucos o Barra, que precisa de pelo menos mais um gol para forçar a decisão em penalidades máximas começou a mostrar nervosismo, embora fosse melhor em campo. Com isso, o Cuiabá passou a equilibrar mais a partida e aos 39 minutos fez o gol de empate. Em uma das raras jogadas de lucidez de Fernando, o time cuiabano empatou. Ele fez boa jogada pelo setor esquerdo, levando dois zagueiros e tocando para Douglas, que se desvencilhou de seu marcador e na saída do goleiro Anderson tocou para o fundo da rede fazendo o gol de empate e do título mato-grossense.

Depois do gol foi só administrar o resultado e comemorar o tricampeonato.

CUIABÁ
Fabiano; Marquinhos, Yuri, Reinaldo e Natanael; Bogé, Natan, Jean e Fernando (Amaral); Tozim (Douglas) e Edu Amparo (Moreno). Técnico - Ary Marques.

BARRA
Anderson; Cleidir (Vinicius Bala), Luiz Carlos, Daniel e Edson (Baiano); Edson Sá Dinho Carioca), Paulo Roberto, Alexandre e Israel; Jócion e Nenezinho. Técnico - Roberto Oliveira.

Gols – Cleidir, aos 36 minutos do primeiro tempo e Dougla, aos 39 minutos do segundo tempo

Árbitro – Alinor Silva da Paixão

Assistentes – Lincoln Ribeiro e Fábio Rodrigo Rubinho

Cartões amarelos – Bogé, Fabiano e Jean (Cuiabá) e Paulo Roberto e Alexandre (Barra)
Cartões vermelhos - Não Houve

Renda – R$ 22.645,00

Público – 5.628

Fonte: GE e 24HorasNews

Fonte: Mega Times e Klima Naturali
Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

CityGlobe