100 METROS RASOS NO ATLETISMO

Os 100 metros rasos é considerado a prova mais nobre do atletismo. Duram pouco menos de 10 segundos. Um atleta dá 45 passadas no percurso e cruza a linha de chegada a 36 km/h. Um homem comum faria a prova com 50 passadas e numa velocidade de 22,5 km/h. Treinado para responder ao disparo do tiro de partida, um velocista campeão gasta em média dezoito centésimos de segundo para dar início a sua corrida. Uma pessoa determinada leva 27 centésimos de segundo para reagir. Os atletas inspiram na largada, expiram e inspiram novamente na marca dos 100 metros e expiram novamente só no fim da corrida. No primeiro movimento o atleta já avança cinco metros. É a primeira demonstração de explosão muscular. As passadas iniciais medem 1,60.

O campeão atinge sua velocidade máxima (43 km/h) aos 35 metros de corrida, quando a extensão das passadas para 2,10 metros e consegue mantê-la até os setenta metros. Um atleta comum já tera alcançado a velocidade máxima (27 km/h) na altura dos 25 metros de prova e começa a desacelerar a cinquenta metros do final da competição. É que o corpo humano não resiste mais do que seis segundos trabalhando a plena carga. A chegada é dada com o atleta freando.

Nessa prova, os atletas calçam sapatilhas que são tão leves quanto as de balé e pesam 170 gramas cada (50% menos que um chinelo Rider). As solas tem pregos de comprimento máximo fixado em 8,4 milímetros, e a espessura do solado não pode ultrapassar treze milímetros.

No caso de uma chegada embolada, os juízes irão observar a posição dos ombros ou do torso do atleta para determinar o vencedor. Pernas e braços não são levadas em conta.


Primeiro abaixo de 10s
Em 1968, o americano Jim Haines foi o primeiro homem a fazer os 100 metros rasos em menos de 10 segundos. Ele abaixou a marca da prova para 9s95. O recorde durou quinze anos, até que outro americano, Calvin Smith, chegasse aos 9s93, em 1983.

Fonte: Mega Times e Klima Naturali
Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

CityGlobe